Exposições

Cartão de Elke Hering, quem organizou a primeira exposição de Mario Valdanini, em 1972

Cartão de Elke Hering, quem organizou a primeira exposição de Mario Valdanini, em 1972

A primeira exposição de que Mario Valdanini participou foi uma coletiva, na Galeria Açu-Açu, em Blumenau, Santa Catarina, no ano de 1972. Desde então, não parou de expor, seja em mostras individuais ou coletivas.

Além das relacionadas ao final nesta página, também participou das seguintes: coletiva no Porão da Arte (antigo nome do Centro de Arte), em 1980; mostra de gravura em parceria com o artista Kyro, no Porão da Arte, em 1982; coletiva Multintegração Emotiva, no espaço Arte em Pessoa, em 1993; coletiva da Associação de Artistas Profissionais de Nova Friburgo no Centro de Arte, em 1994; coletiva Objetos & Fotos, no Espaço de Arte Willisau, em 1999/2000; coletiva com artistas e professores da Usina Cultural, em 2001; exposição “Árvores da Cidade” (para a qual confeccionou uma árvore de Natal encomendada pelo jornal A Voz da Serra) no Friburgo Shopping, em 2001; UniversidArte, na Universidade Estácio de Sá, em 2001; IV bazar “Chá com Arte”, em 2005; coletiva da Associação de Artistas de Nova Friburgo, no Centro de Arte, em 2006; e exposição de xilogravuras, ao lado de um aprendiz do Criam, no hall do Fórum de Nova Friburgo, em 2007. Também realizou uma oficina de argila pelo projeto Circuito das Artes, no Cascatinha Esporte Club, em 2005.

Mario Valdanini sempre participou de eventos na cidade para os quais foi convidado, como a “Festa da Arte” na Praça Getúlio Vargas, tendo estado presente em todas as edições; e “Pela Vida”, uma campanha realizada na Praça Getúlio Vargas pela conscientização sobre a Aids.

Além disso, criou cenários e/ou adereços para os seguintes espetáculos: peça “As Margorosas Horroridas”, com direção de Carlito Marchon, no Porão da Arte, em 1984; balé “A Lenda do Rei Arthur, na Praça Dermeval Barbosa Moreira, em 1987, e no GPH, em 1988; coreografia da V Mostra para Novos Coreógrafos, na Fundação de Artes, no Rio de Janeiro, em 1988; balé “2025 – E o Tempo Levou”, no teatro do Nova Friburgo Country Clube, em 1988; espetáculo de dança “Claro e Escuro”, do Studio & Cia – Ballet de Nova Friburgo, no Centro de Arte, em 1989; espetáculo Lual Lambada, no distrito de Mury, em 1989; coreografia “Gesto”, feita por bailarina profissional sobre dona Isa (uma coreografia que repete os movimentos feitos com a varinha por dona Isa), em 1990; peça teatral “Uma Viagem ao Planeta Qualidade Total”, na Fábrica Torrington, em 1993; e balé “2025 – Tudo por uma Sapatilha”, no teatro do Colégio Lemos Cunha, na Ilha do Governador, Rio, em 1993.

No VI Encontro de Dança de Nova Friburgo, promovido pelo Sesc, em 1989, realizou o trabalho de luz, som e direção para o Studio & Cia – Ballet de Nova Friburgo.

2017-12-08T18:42:51-02:00
Ir ao Topo